Teatro da Vida


Pintura: Sr. do Vale
2,50m x 1,50m

Detalhe

Detalhe

Meu teatro de peças breves
mal abro as cortinas
bilheterias desertas
o som das palmas
são dos fantasmas
que me sopram as falas.
No teatro real
há poucas vidas
que derrubariam máscaras
para mostrar de vez
suas almas vazias.
____________________________________________

As camadas de cada um.
Sopro e passado.
Tempo marcado
no tempo que a lembrança guardou.
Suplica a mente
que senti o tempo perdido
no momento que já passou.
Súplica de gente que mente.
Encena a vida vagueia,
mostrando sem saber no que se transformou.
Apenas com a certeza de que vingou.
____________________________________________

13 comentários:

Lara Amaral disse...

Meu teatro de peças breves
mal abro as cortinas
bilheterias desertas
o som das palmas
são dos fantasmas
que me sopram as falas.
No teatro real
há poucas vidas
que derrubariam máscaras
para mostrar de vez
suas almas vazias.



Amigo, acho que deveria colocar vários detalhes, como aquele do rosto laranja no canto esquerdo inferior. Sei que dá para ampliar a tela se clicar nela, mas dá mais impacto vc recortando os detalhes e já deixando expostos aqui, há tantos lindos na sua poesia pintada, fico encantada com ela =).

Beijo.

Racha Bico disse...

Cara que legal seu trabalho das pinturas. To vindo do blog da Juliana Carla. Depois me dá umas aulas ai. Nem sei o que é corel... O.o

Mas falando sério agora, fiquei intrigado como tu consegue fazer aquelas imagens sem os macetes do programa. Tu tem talento! Parabéns!

Abraço

Mirse Maria disse...

Belíssimo, Lara!

Para você, estaria na primeira fila e você poderia ver o vazio da minha alma sim.

Em você, eu confio!

Beijos, poetisa

Mirse

Parabéns às lindas pinturas do Sr do Vale.

Sylvia Araujo disse...

Imagens sinestésicas. E texto incrível.
Muito bom.

Beijomeupravocês

May Santos disse...

Muito lindo o seu trabalho!
Inovador! Diferente!

Parabéns!


Estarei a te seguir... ok?

Beijos

May
:)

Tentativas disse...

Olá Sr do Vale,

As camadas de cada um.
Sopro e passado.
Tempo marcado no tempo que a lembrança guardou.
Suplica a mente que senti o tempo perdido no momento que já passou.
Súplica de gente que mente.
Encena a vida vagueia,
mostrando sem saber
no que se transformou.
Apenas com a certeza
de que vingou.

beijos,

Selena Sartorelo disse...

assinei com outra que conta, uma que não é minha, perdoe a distração.

Beijos Selena,

Selena Sartorelo disse...

Ha!Ha! Expliquei o que você já tinha percebido... Sou uma parva mesmo rsrsr!!

beijos.

Reflexo d'Alma e Meus Reflexos disse...

OLa!
Passando pra sentir sua arte
e dizendo que tem post
la no blog pra vc tambem.
Ia gostar que passsasse la.
Saudade...
Bjins entre sonhos e delírios

Anderson Mendonça disse...

Bom dia Sr. do Vale
Estou vindo do Braille da Alma, muito legal seu trabalho. Pode considerar que ganhou mais um fã. Muito viva sua arte!
Sucesso pra você!

Rosana Lourenço disse...

Sr. do Vale muito lindo a sua obra, viu? Deixou a flor aqui encantada (assim como a nossa querida Jú). Queria ter 1/3 do talento de vocês.
As poesias em destaque são lindas também! Um complemento e tanto para suas pinturas.

Beijo

lenor disse...

A vida é um palco e nós somos silhuetas: houve um dia em que eclodimos e virá um dia em que nos havemos de recolher.
:)

Saozita disse...

Lindas pinturas ,adorei seu blog,virei por aqui mais vezes se me permitir.

bj