Sobrevivência

Pintura: Sr. do Vale
2,50m x 1,50m

“O olhar ultrapassa meu entendimento e me contento em seguir levando no coração uma estrela do mar”
______________________________________

Nuances de sobrevivência
No peito um aperto
Nos olhos profunda solidão
Migalhas espalhadas pelo chão
Sacolas vazias Vidas vadias
Corpos prostrados sim
Outros não
Porém todos aguardando Sem pressa
O tempo de espera Que resta
E traz
Nuances de uma esperança
Na cadência do coração
Que sussurra:
Sobrevivência única razão!
______________________________________

Do chacra central
aberto, ferido
escaparam-lhe os nervos
que não faltaram na folha
nascida naquele solo fecundo
de energizado adubo vital;
no entanto dos sonhos,
amores e loucuras
a folha não viu a cor
nem sinal ficou
a não ser o das sombras
do final da tarde quente
que inalam todo o vapor
- pavor
-do ceifador solitário.
LARAMARAL
______________________________________
"Não é porque sou o artista do picadeiro que não vou apreciar o digital, as telas, o nado sincronizado, a escultura na areia, um gol de placa, fotografia, a vida...Se não gosto me afasto. Todas tem uma forma de expressão e arte do cotidiano as vezes real demais ou utopico demais."
tossan
______________________________________

8 comentários:

Noslen ed azuos disse...

“O olhar ultrapassa meu entendimento e me contento em seguir levando no coração uma estrela do mar”

Parabéns, lindas paisagens.
ns

tossan disse...

"Não é porque sou o artista do picadeiro que não vou apreciar o digital, as telas, o nado sincronizado, a escultura na areia, um gol de placa, fotografia, a vida...Se não gosto me afasto. Todas tem uma forma de expressão e arte do cotidiano as vezes real demais ou utopico demais."
A tua arte é fantástica! Abraço

Reflexo d Alma disse...

Deus!
Que intensidade!
Me impressiona sobremaneira sempre,
mas percebo que as nuances estão mais leves...
vou ficar ainda diante dela
absorvendo um tempo.
Saudade...
Bjins entre sonhos e delírios


Nuances de sobrevivência

No peito um aperto
Nos olhos profunda solidão
Migalhas espalhadas pelo chão
Sacolas vazias
Vidas vadias
Corpos prostrados sim
Outros não
Porém todos aguardando
Sem pressa
O tempo de espera
Que resta
E traz
Nuances de uma esperança
Na cadência do coração
Que sussurra:
Sobrevivência única razão!

Reflexo d' Alma 0006 de 09/02/010
obs:o texto não tem pontuação mesmo

Lara Amaral disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Lara Amaral disse...

Lindíssima pintura.

Eu, como sempre, tento aqui com meus humildes versos, corresponder a um pouco da sua bela arte.

Beijos, espero que esteja bem.

Do chacra central
aberto, ferido
escaparam-lhe os nervos
que não faltaram na folha
nascida naquele solo fecundo
de energizado adubo vital;
no entanto dos sonhos,
amores e loucuras
a folha não viu a cor
nem sinal ficou
a não ser o das sombras
do final da tarde quente
que inalam todo o vapor
- pavor -
do ceifador solitário.

LARAMARAL

Beto Brandão disse...

O que que houve com o Partículas do Pessoal????????????????????

M.PAUMARCH disse...

Aquesta obra és particularment suggerent, amic do Vale.
M'agrada molt la seva composició.
Parabéns novament des de Catalunya.
Una abraçada.

lenor disse...

Uma sobrevivência debaixo de um sol egoísta que não espalha a luz e onde uma folha é tão descorada como uma raiz. Em última instância, uma sobrevivência alimenta-se da morte.