Rosto de Pedra







Pintura: Sr. do Vale
2,50m x 1,50m


Eram brontossauros.
.
Hoje são homens.
.
Amanhã serão luz!
.
________________________________________
Não é cara
Nem coroa.
.
Nem pedra, nuvens ou nada.
.
Apenas um rosto achado
No mosaico encantado.
.

IOANES NULLIUS

________________________________________


Deparei-me com o rosto de pedra
Esfinge em uma moeda
com a mente tomada
por vermes
serena face sem dor
.
Serão estes traços fantasmas, espectros,
almas penadas,
que insistem, em cores,
atormentarem a mente do pintor?
.
Ou seria o rosto de pedra
um quebra-cabeças de nuvens
visto de uma janela
com o vento
a dar forma as peças
que com pressa o pintor Traduz?
.
Talvez não seja nada disso
apenas o cismar do poeta
que com a locura flerta
na tela com o rosto de pedra
.
________________________________________


Assim, de perto, se vê cada grão mineral
no rosto pétreo
linhas em tunsgtênio e violeta
o sorriso quase besta
o olho semicerrado.
mas, a cada passo dado,
cada vez que nos despedimos
tudo que se vê é o perfil decepado
da cabeça
sobre a mesa fria
depositada indolentemente nos tecidos multicoloridos
da minha ausência.
E se você olhar de novo
verá que chora de saudades.
.
________________________________________


a mim parece
menos um rosto
de pedra e mais
um rosto de cera.
.
de cera.
que à distancia fria
nunca muda.
ao calor da aproximação
poderia todo o tempo
se transformar.
.
talvez sem pintor
talvez sem escultor
sem poeta bem falante
sem radio-locutor
.
talvez lhe venha de dentro
a vida que parece faltar
e sobrar, e prometer, e fixar.
.
um rosto de cera.
partido em mil pedaços.
todos meio puídos
meio doídos meio mofando
.
um rosto de cera.
sem corpo que combine.
sem hoje nem amanhã.
.
só o rosto num mundo quebrado.
só o rosto inteiro.
.
só o rosto parado ainda
por não ter muitos outros em volta
tocando & falando & ouvindo & amando & sentindo & compartilhando
.
só o rosto mentindo
por não poder mais ser
verdadeiro.
.
o rosto de cera.
que o mundo de dentro
quando atinge o centro
ainda alucina.
contorse.
transforma.
.
Clara
________________________________________



"Olhe-me de perto.
Não apenas como um vulto
em constante movimento...
Olhe-me por dentro,
por cima, em cima...
Olhe-me ao olhar-te.
Olhe-me ao tocar-te...
Olhe-me ao saber que estou em ti,
não como figuras abstratas,
mas como surrealismo intrínseco de informações...
Olhe-me por ângulos novos,
recriados pelas suas sensações.
Olhe-me sabendo que olho-te intensamente e para sempre."
.
________________________________________

Rosto de Pedra
.
Erigido em pensamentos
O rosto atento
Perfilamentos
Perfil em aumento
Encantamento
.
Da pedra escavada
A face conjurada
Mistificada
Mística descriada
Despetrificada
.
Entre cores luminescentes
A cara alvescente
Desentorpecente
Destemor crescente
Multitranscendente
.
Voa noturna
Soturna lanterna
Rosto de pedra
Lux Aeterna
.
________________________________________
Enamoramento
.
A intermitência da vida dialoga com a infinitude da arte.
Metamoforses melódicas,
Traços e cor.
Imagens se envolvem na poética do prisma.
O ser que se reinventa em um emaranhado de simbolismos.
Olhares que fitam o abstrato interior.
E enxergam o seu lado reverso.

12 comentários:

Selena Sartorelo disse...

Eram brontossauros.

Hoje são homens.

Amanhã serão
luz!

tossan disse...

O que há de mais real para mim são as ilusões que crio com a minha pintura. O resto são areias movediças.
Eugène Delacroix

Gostei de novo!
Abraço

Big clash disse...

Deparei-me com o
rosto de pedra
Esfinge em uma moeda
com a mente tomada
por vermes
serena face sem dor

Serão estes traços fantasmas,espectros,
almas penadas,
que insistem, em cores,
atormentarem a mente do pintor?

Ou seria o rosto de pedra
um quebra-cabeças de nuvens
visto de uma janela
com o vento
a dar forma as peças
que com pressa o pintor Traduz?

Talvez não seja nada disso
apenas o cismar do poeta
que com a locura flerta
na tela com o rosto de pedra

Senhora Loirinha Má disse...

Assim, de perto, se vê cada grão mineral
no rosto pétreo
linhas em tunsgtênio e violeta
o sorriso quase besta
o olho semicerrado.
mas, a cada passo dado,
cada vez que nos despedimos
tudo que se vê é o perfil decepado
da cabeça
sobre a mesa fria
depositada indolentemente nos tecidos multicoloridos
da minha ausência.
E se você olhar de novo
verá que chora de saudades.

Anônimo disse...

a mim parece
menos um rosto
de pedra e mais
um rosto de cera.

de cera.
que à distancia fria
nunca muda.
ao calor da aproximação
poderia todo o tempo
se transformar.

talvez sem pintor
talvez sem escultor
sem poeta bem falante
sem radio-locutor

talvez lhe venha de dentro
a vida q parece faltar
e sobrar, e prometer, e fixar.

um rosto de cera.
partido em mil pedaços.
todos meio puídos
meio doídos
meio mofando

um rosto de cera.
sem corpo que combine.
sem hoje nem amanhã.

só o rosto num mundo quebrado.
só o rosto inteiro.

só o rosto parado ainda
por não ter muitos outros em volta
tocando & falando & ouvindo & amando & sentindo & compartilhando

só o rosto mentindo
por não poder mais ser
verdadeiro.

o rosto de cera.
q o mundo de dentro
quando atinge o centro
ainda alucina.
contorse.
transforma.

Abs
Clara

A garota do copo d'gua disse...

é só saudade
mas doi tanto quando amor

Auréola Branca disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Auréola Branca disse...

"Olhe-me de perto. Não apenas como um vulto em constante movimento...
Olhe-me por dentro, por cima, em cima...
Olhe-me ao olhar-te. Olhe-me ao tocar-te... Olhe-me ao saber que estou em ti, não como figuras abstratas, mas como surrealismo intrínseco de informações...
Olhe-me por ângulos novos, recriados pelas suas sensações.
Olhe-me sabendo que olho-te intensamente e para sempre."

Acreditaria se dissesse que criei isto vendo-te agora?

MARTHA THORMAN VON MADERS disse...

Hoje são homens?
Será?
Belo , triste e verdadeiro!
beijos

Marcello 'Maddy Lee' L. disse...

Graaaaaaaaande Valleyman!
Gostei, gostei, gostei!
Tenho andado sumido, você também...
Mas essa aí me inspirou.

Rosto de Pedra

Erigido em pensamentos
O rosto atento
Perfilamentos
Perfil em aumento
Encantamento

Da pedra escavada
A face conjurada
Mistificada
Mística descriada
Despetrificada

Entre cores luminescentes
A cara alvescente
Desentorpecente
Destemor crescente
Multitranscendente

Voa noturna
Soturna lanterna
Rosto de pedra
Lux Aeterna

Aquele abraço!
ML

ubbalda disse...

Eu que gosto de arriscar versos fico muda ante teus desenhos e as palavras de teus amigos.
Lindo demais.

Deiga Luane Borges disse...

Enamoramento

A intermitência da vida dialoga com a infinitude da arte.
Metamoforses melódicas,
Traços e cor.
Imagens se envolvem na poética do prisma.
O ser que se reinventa em um emaranhado de simbolismos.
Olhares que fitam o abstrato interior.
E enxergam o seu lado reverso.