Contemplação

Pintura: Sr. do Vale
2,00m x 1,20m


Contemplo o vale terrestre
que suaviza o olhar
quando no raiar do sol parte de mim consegue iluminar.
Contemplo o vale da mente
que é distinto em cores e sentidos
.
Ou pairo na linha tênue
que divide esses dois vales.
_________________________________________

Há sob o céu cor de limão
insinuâncias de vertigem e cor.
Sabemos afoitos os cúmulos
tintos de vermelho.
Sabemos tempestuos
asas formas onduladas
e as altas vagas das paixões.
Ah, estamos nós tão propícios
sob o céu cor de limão
que nem podemos fingir
que usamos vestais.
Sob essas cores não cabem disfarces.
Melhor assegurar as sensações.
_________________________________________

Nesse vale
Sob um céu de fogo
Eu rogo
Que me embale
Enquanto afogo
Cada parte
Que não se cale
Nessa arte
_________________________________________

7 comentários:

Dona Sra. Urtigão disse...

Vales, montanhas, o céu anunciando tormentas, o que pode ser entendido como sublime. Linda pintura e nome mais correto, impossível.
Abraço.

Selena Sartorelo disse...

Contemplo o vale terrestre
que suaviza o olhar
quando no raiar do sol parte de mim consegue iluminar.

Contemplo o vale da mente que é distinto em cores e sentidos

Ou pairo na linha tênue que divide esses dois vales.

abraços e bom final de semana

lenor disse...

Afinal há quem dê cores aos ventos!

MARTHA THORMAN VON MADERS disse...

Como sempre arrebatador!
obrigada pelo carinho.
beijos

~*Rebeca e Jota Cê *~ disse...

Gostei demais das suas pinturas, nunca vi nada parecido e tão cheio de sentimento dentro de cada pincelada. Sobre os créditos das imagens, quando procuro algo pela internet, geralmente não diz a fonte. Diferente de textos, que sempre coloquei os devidos créditos a quem escreveu. Acho que não tem problema em postar imagens sem créditos, até porque, não estou dizendo que são minhas.
Seu blog é de uma sensibilidade aguçada e de um bom gosto fantástico.

Parabéns!

=]

Rebeca

-

Senhora Loirinha Má disse...

Há sob o céu cor de limão
insinuâncias de vertigem e cor.

Sabemos afoitos os cúmulos
tintos de vermelho.

Sabemos tempestuosas
as formas onduladas
e as altas vagas das paixões.

Ah, estamos nós tão propícios
sob o céu cor de limão
que nem podemos fingir
que usamos vestais.

Sob essas cores não cabem disfarces.

Melhor assegurar as sensações.

Salve Jorge disse...

Nesse vale
Sob um céu de fogo
Eu rogo
Que me embale
Enquanto afogo
Cada parte
Que não se cale
Nessa arte