Paralelo

Pintura: Sr. do Vale
0,72m x 0,54m
.
Paralelo
é um universo
o lado alado
o clandestino

É o transmigrar naturalmente
de um corpo adormecido
.
Paralelo
para Lennon
para a musa
de meu delírio

Alice atrás do coelho
nua com olhar brejeiro
cisma em me seduzir
do outro lado do espelho
.

Paralelo
é cotar o dólar
no caderno de economia
fazer uma parada,
uma treta
com o vapor daquela esquina
dar linha pra sua mente
se é que entendes minha rimaBig clash

"Paralelos! seguimos juntos
tocados pela paisagem
pela luz em cinergia
sem contudo
nos tocarmos
desabrochando
em segredos pelas noites e dias
graciosamente revelados".
Renata Bomfin



PINTURA, SILÊNCIO, TEMPO.
Uma partícula de silêncio diluída nas veladas figuras, ou tocada pela suave suspensão do tempo, em que os nossos sentidos se sintonizam, em uníssono e depois se ausentam, deixando em seu lugar a lembrança da luz.
Artista Maldito
O homem jovem que trás a aura esverdeada.
Imponente estufa o peito, e numa atitude bravia olha para o mundo de dentro de sua caverna.
A mulher misteriosa envolta num véu admira o corpo e a carne num olhar ao sensual.
Nossa!
Como não falar?
Todos em momentos de reunião trazem consigo a proteção.
Como não ver?
Os recados tornaram-se enigmáticos por simplesmente serem claros demais.
Ficaria aqui comentando cada partícula, mas seria o egoísmo meu fardo.
Saborear cada descoberta em cada novo olhar.
Selena Sartorelo


Ruma o Homem
O boi e a ave
As Verduras
Deste chão
Desde o limbo
Até ao céu
Sem carecer explicação...
Tanta linha paralela
Suspensas no éter do tempo
Em doce ligação
Buscam no azul do alto
Seus pontos de intercepção?
Rumam o Homem
O boi a ave
E as Verduras
BIA


Paralelo
Ao que há de mais belo
As brumas do meu castelo
De onde velo
Por essa imensidão...
Salve Jorge

24 comentários:

Artista Maldito disse...

PINTURA, SILÊNCIO, TEMPO.

Olá Sr. do Vale

Uma partícula de silêncio diluída nas veladas figuras, ou tocada pela suave suspensão do tempo, em que os nossos sentidos se sintonizam, em uníssono e depois se ausentam, deixando em seu lugar a lembrança da luz.
Foi o que senti ao ver esta pintura e as imagens que a compõem, plenas de poesia e encantos: um idílio!

Um beijo e desejos de bom início de semana,
Isabel

Sr do Vale disse...

Isabel, que maravilha de descrição.
Como eu não sabia o que significava idílio, fui consultar o dicionário, e percebi que em uma palavra você resumiu tudo.
Muito obrigado.

IDÍLIO: pequena composição campestre ou pastoril, quase sempre amorosa;
amor terno e cândido;
sonho, devaneio;
fantasia.

Anônimo disse...

bonitos os seus desenhos!
um grande abraço e boa sorte com teu trabalho!

Sandra

Fábio disse...

A muito tempo eu não o visitava caro amigo, e fico feliz por ver que as suas pinturas continuam magnificas. Belo trabalho de verdade, prometo aparecer mais frequentemente.

Um abraço

Selena Sartorelo disse...

Meu querido amigo Sr. Do Vale

Cliquei uma...
Cliquei duas vezes , muitas, muitas vezes em cima da pintura e ela não ampliou, entrei em desespero não poderia deixar de enxergar teus detalhes, desci um pouco mais, e percebi que você á tinha detalhado,mas eu me recusava ver.Queria eu encontrá-los, mas nada acontecia nem com um milhão de cliques ela se amplia.
E agora! Pensei ( mentira!... escrevi imediatamente, acho que mesmo antes de pensá-la).
Pus-me a observar, sabia tudo o que ia encontrar, coisas que não me foram ditas, mas que agora se revelam com toda a intensidade que existe.
Como não comentar? Impossível.
Como desprezar?
E deixar passar.
Então a cada descoberta
Cada visão
Cada sensação
Uma imagem transmitia.
O homem jovem que trás a aura esverdeada.Imponente estufa o peito, e numa atitude bravia olha para o mundo de dentro de sua caverna.
A mulher misteriosa envolta num véu admira o corpo e a carne num olhar ao sensual.
Nossa!
Como não falar?
Todos em momentos de reunião trazem consigo a proteção.
Como não ver?
Os recados tornaram-se enigmáticos por simplesmente serem claros demais.
Ficaria aqui comentando cada partícula, mas seria o egoísmo meu fardo.
Saborear cada descoberta em cada novo olhar.

Com respeito e admiração,
Selena

MARTHA THORMAN VON MADERS disse...

Trabalho poético feito com cores! Admiro demais seu trabalho

Big clash disse...

Paralelo
é um universo
o lado alado
o clandestino
É o transmigrar naturalmente
de um corpo adormecido

Paralelo
para Lennon
para a musa
de meu delírio
Alice atrás do coelho
nua com olhar brejeiro
cisma em me seduzir
do outro lado do espelho

Paralelo
é cotar o dolar
no caderno de economia
fazer uma parada,uma treta
com o vapor daquela esquina
dar linha pra sua mente
se é que entendes minha rima

BIA disse...

Ruma o Homem
O boi e a ave
As Verduras
Deste chão
Desde o limbo
Até ao céu
Sem carecer explicação...

Tanta linha paralela
Suspensas no éter do tempo
Em doce ligação

Buscam no azul do alto
Seus pontos de intercepção?




Abraço muito terno e saudoso


(de quem está a viver momentos muito intensos, sim!)



BIA

BIA disse...

***

Rumam o Homem
O boi e a ave
E as Verduras***

Emende por favor!

O seu trabalho meu precioso amigo, merece as palavras mais belas do mundo!

Desculpe a minha ausência, não é do coração!


BIA

Salve Jorge disse...

Paralelo
Ao que há de mais belo
As brumas do meu castelo
De onde velo
Por esse imensidão...

renata disse...

Olá amigo, que lindo está teu blog, além da fruição estética a curiosidade de vasculhar cada post em busca de novas imagens...

"Paralelos!
seguimos juntos
tocados pela paisagem
pela luz
em cinergia
sem contudo
nos tocarmos
desabrochando
em segredos
pelas noites e dias
graciosamente revelados".
que

Selena Sartorelo disse...

Óia que num tô podeno
de tanta emoção
vai uns dí amarelo
otros de vermeião
Corre morro arriba
prô coração
que dispara nessa imensidão de palavrinha e palavrão
E vem o supimpa do Sr. do Vale
cum esse presentão.
Óia que num vai me envergonha
pois um presente aqui
eu quis ti dá.
pro cê que pintô
e
prô cê escrevinhô
brincadera de caipira
que num tempo já sonho.
num se atreve a pubricá
essa manera di eu fala, qui nem
sintido eu suube dá
E aqui na minha terra
foi assim que aprendi a elogiá.

Luciene de Morais disse...

Paralelo
Tão próximo e tão distante!
Irão finalmente se encontrar no infinito? (suspiro)

PS. desculpe a ausência, precisei de um pequeno recesso. Beijos.
http://humanidades-e-afins.blogspot.com/

Fernanda Fernandes Fontes disse...

" Paradoxos paralelos que alinham meu viver ao teu " (Ir além dos sentidos, no Degustação Literária). Paradoxos estes que alinham os poetas, as poesias, as cores e as dores. Que caminham lado a lado, e se cruzam no entendimento das artes: letras, ritmos e imagens.

Sr. do Vale, adorei não somente os textos, mas as imagens. Me
perdi nestas formas.

Abraços e obrigada pela visite. Te espero outras vezes!

Mikas disse...

Um beijo de boa tarde

Cultura Malcriada - disse...

E aí Mister!!!
Muito legal... tá fazendo sucesso.
FaloU!

tossan disse...

A seqüência das obras são exelentes! Um artista com alma, repito. Abraço

Luciene de Morais disse...

Bom dia amigo!
Vi seus comentários, obrigada pelas dicas... Quanto à obra "o Navio" fui verificar novamente, acho que é realmente de Dali, veja aqui...
http://demo_cracia.blogspot.com/2004/05/salvador-dali.html#comments
Beijoo

Oliver Pickwick disse...

Já não ouso mais dizer frases do tipo: "este é o seu melhor trabalho". É bastante temerário. Este post, as poesias, o conjunto é um dos seus melho... ops.
Grande trabalho, velho! Abusa do grafismo cibernético. No melhor dos sentidos.
Um abraço!

Cristiana Fonseca disse...

Olá Sr do Vale,
eu venho aqui, e fico deslumbrada, sem palavras.
Não sei o que escrever, belo, lindo,não bastam. Além das obras, tens belos poemas.
Parabéns artista das cores.
Abraços,
Cris

Noslen ed azuos disse...

Gostei do banner novo, pelo menos para mim, reparei agora, a mulher deu um charme característico, ...e falar de sua obra é chover seguido de arco-íris num dia de verão com um drink na mão ouvindo uma canção prog no encontro de irmãos em qualquer lugar, pode ser até aí perto do Rincão.

Abração
ns

Esther disse...

Paralelo ainda é nada entender mas ainda assim gostar até não saber quanto.. pois fareja com alma!

essa viagem de vir aqui é um sopro de novidade para mim..

bj

Dona Sra. Urtigão disse...

Meu jovem senhor
frente a beleza da imagem por vós criada , comecei a escrever um comentario e quando percebi, estava poetando. Apaguei, envergonhada...
Saiba do que vossa arte é capaz !

Qualquer Um disse...

Caro Sr do Vale-Desconhecido,

Sempre fico curioso com as pocuas testemunhas que passam pela minha caverna (alguns chama de Blog, eu de esconderijo).
Desta vez, fiquei curioso, e tb supreso.
Nao me lembro de um post com tanta informação. Poesias e Artes "Visuais" (para mim, toda arte é virtual).
Como nao conseguiria digerir tudo, e talvez pela minha deficiência em ler o que não é texto, fiquei com o "paralelo".
Paralelos sao a vida e a alegria. O sim e não. Paralelas que sonhamos ver cruzadas, nem que seja no infinito
Um ab
edu