Finda a Tarde

Um passo, dois
É noite
O Sol a pouco se foi

A rua ainda está molhada
Da chuva da tarde
Brilhos dos edifícios nas calçadas
Dos postes, luzes ofuscam-me a visão

No silêncio, passos
Um ou outro ainda caminha
Um suspiro fere o silêncio

Finda o dia

A tarde

A noite

2 comentários:

Gustavo Fichter disse...

Muito legal o seu poema, Sr do Vale.
Parabéns.
gustavo fichter

Senhora Loirinha Má disse...

Finda tarde
a tarde cora
e a gente chora
porque finda tarde.
;-)