Apoteose

Pintura: Sr. do Vale
2,50m x 1,50m



Eram cães
e eram deuses.
Eram Homens
e eram servos.
E se lançaram às águas
como em batismo
vestiram dourado
como em uma festa.
Os fracos.
Uivaram para o céu carmim
as feras.
Apoteótico instante
e instinto
sacrifício de carne
e cera.
Senhora Loirinha Má

Detalhe

Empunho estandarte
De vontades infindas
Em praça pública.
Ah, se soubesses que Minh´alma flameja
Pelos espirais de teu Corpo,
entrarias em Mim
feito apoteose
Nas plagas dos prazeres.
.
Me fantasio de lânguidos
Segredos para descortinar
O céu rubro de tua face.
Na enxurrada de cores,
Confeio-te d´amores
O eco do que guardo
A noite pra ti:
na sinuosa avenida
desfila meu desejo.
Saciai-o!
Fernanda Fernandes Fontes


Detalhe
Não tem censura no pintar
não teme o criar
agride, incomoda
mistura os sentidos
são berros, são gemidos,
Sussurros
Desejos
não queridos
Trás teus bichos
a razão
Natureza instinto e emoção
Tudo misturado
Bem explicado
Desliza na escuridão
lânguido
abraça e acaricia
Inverte a posição
um momento
a transformação
Detalhes
Lâmpejos
Doação
É súplica
É dor
A minha pretenção
Observa o sacrificio
Inerte
flutua o ser
Atende O entender
Um lamento
Uma explosão
de sentimento
Lambe a tela
Reação sem movimento
Sinto
a respiração
Dentro da caverna
cheiros e sabores
são tuas cores
A surdez
minha expiação.
Selena Sartorelo
__________________________________________


Quem é: aquele que estende a mão
ou o que olha impassível,
sou o sacrifício ou que sacrifica,
o que fica ou sou o que estou,
nado nas cores da visão
ou me aprofundo na cegueira da solidão.
Artista: escolhe para mim ser as nuvens
que de cima contempla as formas sem ter razão.
Noslen ed azuos

15 comentários:

Senhora Loirinha Má disse...

Eram cães
e eram deuses.
Eram Homens
e eram servos.
E se lançaram às águas
como em batismo
vestiram dourado
como em uma festa.
Os fracos.
Uivaram para o céu carmim
as feras.
Apoteótico instante
e instinto
sacrifício de carne
e cera.

Dona Sra. Urtigão disse...

Todo o universo aqui representado.
Confesso uma certa inveja do artista que pela obra leva tantos a tantas reflexões ou divagações.
Abraço.

Cultura Malcriada - disse...

E aí Mister!!

Muito louca a imagem!!! Cada dia melhor!

FaloU!

Fernanda Fernandes Fontes disse...

Empunho estandarte
De vontades infindas
Em praça pública.
Ah, se soubesses que
Minh´alma flameja
Pelos espirais de teu
Corpo, entrarias em
Mim feito apoteose
Nas plagas dos prazeres.

Me fantasio de lânguidos
Segredos para descortinar
O céu rubro de tua face.
Na enxurrada de cores,
Confeio-te d´amores
O eco do que guardo
A noite pra ti:
na sinuosa avenida
desfila meu desejo.
Saciai-o!

...

Obrigada por fazer adentrar em mim inspiração há dias havia partido...
Amo tuas imagens e o que elas fazem comigo.

Bjs!

Cristiana Fonseca disse...

Belíssima postagem, um belo encontro entre poesia e arte.
Parabéns Sr do Vale.
Obrigada pela doce visita.
Respondi tua pergunta la no blog.
Espero ter esclarecido.
Abraços,
Cris

Noslen ed azuos disse...

Quem é:
aquele que estende a mão
ou o que olha impassível,
sou o sacrifício
ou que sacrifica,
o que fica ou sou o que estou, nado nas cores da visão ou me profundo na cegueira da solidão. Artista escolhe para mim
ser as nuvens
que de cima contempla
as formas sem ter razão.

Abração
ns

Branca disse...

Encantada com suas pinturas!!!

Tudo muito lindo aqui...parabéns!

' Josi Keller disse...

Oii
Mal incomodar, mas ja incomodando ne ? rsrs
To divulgando meu blog
Pode dar uma passadinha la ?
' Os pensamentos voam
Pode dar um passadinha e dar opinião na ultima historia ? ?
www.josikeller.blogspot.com
Valeu..
Espero saber k tu foi la ok ?
Beijaoo

.

MARTHA THORMAN VON MADERS disse...

Aqui é o lugar onde poesia e cores fazem parte da vida. Lindo como sempre.
Aproveito para desejar uma feliz Páscoa.

Leonor disse...

s são fantásticas estas pinturas! e excepcionais as ligações imagens/poesia, parabéns!

Lyra disse...

Olá, venho desejar uma Boa Páscoa, replecta de amêndoas e boa disposição.

Beijinhos e até breve.

Lyra
;O)

Obrigada à Lua, Mãe Ancestral que nos ensina a Arte de Curar - Madre Del'Alma disse...

Querido Afilhadinho,
É preciso correr riscos. Só entendemos direito o milagre da vida quando deixemos que o inesperado aconteça. Todos os dias, o Universo nos dá - junto com o sol - um momento em que é possível mudar tudo que nos deixa infelizes. Todos os dias, procuramos fingir que não percebemos este momento, que ele não existe, que hoje é igual á ontem - e será igual á amanhã.
Mas quem presta atenção ao seu dia, descobre o instante mágico. Ele pode estar escondido na hora em que enfiamos a chave na porta pela manhã, no instante de silêncio, logo após o jantar, nas mil e uma coisas que nos parecem iguais. Este momento existe - um momento em que toda força das estrelas passará por nós, e nos permite fazer milagres. A felicidade as vezes e uma bênção - mas geralmente é uma conquista.
PARABÉNS!!! BELLO - DIVINO - TRANSCENDENTE...
Desejo que junto a todas as suas conquistas vivencie uma FELIZ PÁSCOA!
Carinhosamente
Madrinha :)

Beijinhos dançantes saltitantes

Marcello 'Maddy Lee' L. disse...

Alô, ô Do Vale! Tá acordado? Tá aí?
Ah, então aproveita que já acordou e conserta a parada, porque no post não dá pra ler o poema do Noslen nem o da Selena!
Deixa a poeira aqui baixar que eu apareço...
Abração, meu irmão!
Até!
ML

ubbalda disse...

AH Sr do Vale, eu quisera ser senhora das palavras para poder exprimir o que tua pintura evoca.

Oliver Pickwick disse...

Faltou-lhe um pouco mais de persistência para "zerar" o Doom.
Naquela grande área aberta e cercada por um muro que mencionou, lembra-se que existia uma pequena edificação bem no centro? Em uma das salas, havia um arsenal. Tinha todas as armas, exceto a BFG-9000. A estratégia era correr feito um louco pelo campo, driblar os inimigos, enquanto atirava nos aliens. E voltar sucessivas vezes à sala para se reabastecer.
Quando eliminasse o último, chegava-se a uma espécie de praia onde havia uma nave. Era só embarcar nela e voar de volta para a terra. O jogo terminava aí.
Um abraço!