Psique


As modulações plumáticas
Do inconsciente humano

Atravessou a fonte da loucura
Do imaginável

Desfez-se a morte
Em sua câmara mortuária

Pra viver
Os sonhos da vida

Pelos corredores da normalidade banal


Mas nas dimensões
Que as entranhas da mente levam...


A loucura



Poesia: Ioanes Nullius
Pintura: Sr. do Vale

23 comentários:

Sr do Vale disse...

Outro poema que foi musicado pelo Marcelo (ex mamão).

Sérginho disse...

Esse eu conheço bem...estou inclusive cantarolando...

Sr do Vale disse...

Legal Sérginho, eu achava que você não conhecia. A música ficou bem louca, é o que eu chamaria de progressivo.

Sérginho disse...

Cara, quando li que vc. está postando poesias de vinte e tantos anos atrás, fiquei imaginando a qualidade dos seus poemas e textos atuais!! Embora nossos trabalhos mais antigos apresentassem qualidade e muita sensibilidade, surpreendem-me quando me deparo com eles hoje em dia...tenho comigo vários poemas de alguns bons amigos e fico estupefato com a qualidade...´
Quando leio seus textos atuais?

Diva disse...

Estranho sentido de vida... cantarolado deve ser muito melhor...
Bjs meus

Sr do Vale disse...

Diva, não estranhe, a vida tem suas nuances, que as vezes foge aos nossos desejos.

Oliver Pickwick disse...

A eterna busca existencial escreta em versos unusuais e criativos.
Abraços!

Anônimo disse...

Senhor do vale prazer, venho agradescer a visita e ler vossas belas poesias...acabei lendo este nome "Serginho" não seria o músico Serginho que viveu muitos anos na Bélgica? Seria muita coicidência...desculpe a intromissão.
Abraços.
http://s-o-s-miseria.blogspot.com
Alda

Palhastro disse...

Sr do Vale, muito linda a sua pintura. Muito linda!

Me desculpe, mas já vai pro meu blog

Renata Maria Parreira Cordeiro disse...

OLha essa Psique e o poema que a complementa são deveras belos. Não paro de olhar.
Sr. do Vale, vá, por favor, ao meu Blog, pois fiz um post coletivo em que há uma obra sua, lindíssima, alé do meu retrato. Não vá fazer-me essa desfeita.
Um abraço,
Renata Cordeiro
wwwrenatacordeiro.blogspot.com

Crisfonseca disse...

Belissimo conjunto obra e poema.
Um par perfeito.
Beijos,
Cris

O Lápis disse...

Loucura. A risada equivoca. O choro sem latitude, o passo no vazio. A dança das ideias.A fuga final.


Posso cantarolar com voces? :)

Palhastro disse...

Realmente sinto essa mentalidade elevada em você. Digo, percebo a elevação sua através da sua arte, que está cada vez mais forte.

Selena Sartorelo disse...

Socorro!!!!!!
Que vontade de gritar..Adoro!!!!!!
Quanto mais vejo mais sinto... quanto mais vejo mais temo, quanto mais temo mais vou, quanto mais vou, mais tenho, quanto mais vejo mais gosto...
Quanto mais leio, mais perto de entender estou.

Carlo Rochas disse...

Relativamente ambíguo para mim que estou distante e surpreendido pela representação, a este titulo psique, Ψυχή, sempre relacionei o mito, à forma incontornável de passar pelo efémero para se subtrair ao destituíste eterno.

Um abraço e parabéns pela cena visualmente demolidora e confrangedora.

Carlo Rochas disse...

P.S. Não queria deixar de agradecer os seus comentários, em relação ao traços que vou fazendo em tempos “perdidos”, logo que puder mostrarei algo mais consistente, tanto que, nenhuma da mais de centena de telas que se preparam para a próxima expo, nenhuma dela está perto de estar acabada.

Palhastro disse...

Saca só, e quanto a eu te estranhar, oniricamente, são resquícios inconcientes daqueles casos lá do LP no começo do ano passado, saca, quando rolou uma crítica sua sobre o declínio da qualidade das postagens. Sei lá... talvez seja apena coincidência. Como sou um explorador, não creio que as coisas aconteçam por acaso!

Palhastro disse...

Mensagem anterior dirigida ao Sr. do Vale.

JADY*ALVES disse...

Olá Sr. Do Vale! Boa Noite!

Voltei pra admirar um pouco mais os teus trabalhos que não me canso...
E cada vez que aqui entro minha mente divaga, as imagens sugerem uma outra dimensão do inconsciente imaginário, é um sonho "Em Cores", surrealismo fantástico!
Será que posso pedir permissão pra homenagear-te em meu blog?
Sei que lá no meu cantinho é tudo simples tal e qual sou, mas me daria imenso prazer se aceitasse meu carinho com essa obra tua "PSIQUE".

Ah! Viste meu recadinho?
Deixo beijos e carinhos.

beto melodia disse...

sr do vale.

bem, agora a certeza de que você é de um mundo para muitos apenas imaginário, um planeta chamado Arte...
e nele, vejo que você simplesmente um Mestre é...

abraços, meu amigo.

Cultura Malcriada - disse...

E aí Mr.!
Belo trabalho... tem um ambiente envolvendo. Psicodélico!! hehehe

FaloU!

Tomáz disse...

A loucura é sempre insidiosa e ponte para muitas coisas, desde as criações até as satisfações. O desenho se complementa perfeitamente com o poema.

Big clash disse...

É loucura que eu
nem sei explicar.
Quando chega...
é fogo que queima,
é onda,
labirinto,
vertigem,
miragem espelhada em
meus olhos vermelhos.
É calor no meu peito
da última tragada,
acordes,arcanjos,
o puro som da guitarra.
É estrada sem fim,
o escuro e o claro.
é alguém sem ter medo se lançando no nada.